segunda-feira, 25 de julho de 2011

Mel & Joss

Durante minhas longas viagens de ônibus pelo Rio de Janeiro, meu celular é meu companheiro mais constante. Desde que meu MP4 ficou ruim (com 2 meses de uso), meu Samsung velhinho é o único ao qual confio minhas músicas. Nele ficam marcadas minhas fases: uma semana repleto de músicas indianas, uma só de Beatles, uma só de bandas de indie rock, outra só de indie pop...se eu tivesse anotado as músicas que coloquei nele a cada semana, teria uma boa ideia de como estava meu humor em cada uma.

Venho descobrindo minha feminista interior nos últimos tempos e na última semana, comecei a explorar as cantoras no meu Windows Media Player. Não é uma super manifestação feminista (até porque estou só começando), mas realmente comecei a me perguntar o que as mulheres andam dizendo. Ouço pouco o que cantam as cantoras nacionais, confesso que as acho um pouco repetitivas (apesar de adorar várias, como a Roberta Sá e a Mariana Aydar). Lembro até de um tweet no qual dei retweet (modernosa) que diz algo como :"Estou de saco cheio dessa mulherada de vestidão cantando Chico Buarque". Todo o mundo anda cantando coisas tão iguais, tão "Sou neguinha e gosto de ir pro samba com minha saia rodada", que perdi um pouco do interesse por música nacional.

Duas moças andam fazendo meus ouvidos: Joss Stone e Melanie Fiona. A Joss já é famosona, mas nunca havia chamado muito a minha atenção até eu pensar "ei, que tal ouvir estes discos que tenho há dois anos no pc?" e sentir o amor começar a nascer. A Melanie é uma cantora canadense cuja carreira é relativamente nova, tendo lançado seu único álbum até agora, The Bridge, em 2009. As duas tem o maior estilo de quem passou a infância ouvindo a Aretha Franklin, mas os sons são diferentes. A Melanie é um pouco exagerada e enche as músicas de "YEEEEEEEEAH, OOOOOH, UHUUUUUUH" gritados, enquanto a Joss também tem vozeirão, só que canta de um modo mais tranquilo. Mas no álbum da Melanie não há apenas músicas gritadas. Monday Morning, sua música mais famosa ,tem pouco (ou nada) desses exageros. No geral, as duas tem vozes maravilhosas.

Quanto às letras, costumam ser sobre amor. Amor, relacionamento, amizade, sempre isso. Uma das músicas mais gritadas e uma das minhas favoritas da Melanie, It Kills Me, tem uma das letras que mais detesto na vida. Ela basicamente fala sobre o quanto o homem que ama a traiu e briga com ela, mas que sem ele não pode viver. Ao mesmo tempo em que acho horrível, sei que tem muita gente por aí cuja auto-estima chegou a um nível tão baixo que esta música faz todo o sentido em sua vida. Lembrei agora de uma amiga minha que parecia à beira da morte quando descobriu que o namorado a havia traído (foi muito triste). Uma das piores partes da música:

"Será que eu devo pegar o celular dele, e ligar pra esta menina
Fazer um 'shhh' e depois desligar?
Ou devo ser uma dama
Oooh, talvez porque quero ser a mãe dos filhos dele?"

Ao mesmo tempo em que canta isto, também tem Give It To Me Right, que me diverte muito. Algumas partes da tradução, retiradas do Letras.Mus.br:

"Eu acho que você não entende
Se você não pode me satisfazer, eu conheço alguém que pode
Me dê direito
Ou simplesmente não me dê

Essa é a vida real, baby
Essa é a vida que me faz dizer

Essa é a realidade, baby
Quando eu estou sozinha, eu posso me fazer dizer  *nota: minha parte favorita
Yeah yeah, yeah, yeah, yeah"


Quanto à Joss: como demorei tanto para conhecê-la/amá-la? Esta já lançou de tudo, mas estou ouvindo seus discos com calma. Ainda estou grudada ao Mind, Body & Soul. Até o momento, minha música favoria é Right To Be Wrong, que acredito ter sido composta pela própria Joss. Olhem que incrível:

"Eu tenho direito de errar
Já me seguraram por muito tempo
Eu tenho que me libertar
para finalmente respirar
Tenho direito de errar
Cantar minhas próprias canções
E posso ficar desafinada
Mas com certeza me sinto bem assim
Tenho direito de errar
Apenas me deixe em paz"

Antes de ser fã como agora, a música que mais gostava dela era You Had Me. Lembro de ficar torcendo para o clipe passar na MTV. Spoiled é uma que tocava no aleatório do PC e eu adorava, mas nunca parava para refletir sobre (na verdade, nem sabia o nome). As duas continuam favoritíssimas. Notei que também costumo cantarolar Don't Cha Wanna Ride? do nada.

Coloquei links para as músicas nos nomes de cada uma. Quando conhecer mais gente que valha a pena mencionar, compartilharei aqui!

2 comentários:

*Klopper, Priscila* disse...

Hey, Quérol!!

Ahhh, eu adoro teu gosto pra música.
Mas você sabe o quanto eu me importo com a opinião alheia e a minha própria, sempre acho que eu ouço o que ouço porque quero te imitar.
Coisa ridícula, eu sei, parei um pouco com isso.

Mas querendo ou não, a gente tem um gosto parecido, a diferença é que só tivemos Beatles na mesma época! xD
O resto, você me mostrava algumas coisas e depois de um tempo só que eu começava a ouvir, e acredito que será assim por um bom tempo xD.
Foi assim com Chico,Roberta, Madonna (<3), e tantos outros.

A Mel eu nunca ouvi falar, mas realmente eu sempre quis ouvir um pouco mais da Joss e da Amy Winehouse (lembro muito bem do dia em que você me falou dela, eu fiquei meio "what?") - desde então sempre quis ouvir. Baixei o cd há um tempo, ouvi e achei maravilhoso =o mas não super ouvi.
Dae se eu começar a ouvir de novo o povo vai falar que é porque ela morreu ¬¬
E sim, fico ligando pra essas paradas. Chato.

Enfim, eu sempre faço um post nos comentários xD. Sorry!
Mas eu ouvi as músicas que sugeriu, adorei =o. Demais mesmo (Y).
No momento eu estou muito Madonna,Britney, Alanis xDDD (Y) - E o mais engraçado é que me sinto mó poderosa ouvindo e cantando as músicas HUAHUA. Vai entender...(Y)

Te amo =*

Carol disse...

"Dae se eu começar a ouvir de novo o povo vai falar que é porque ela morreu ¬¬"

E vai que é mesmo? Hahahahahahaha! Lembro que eu estava doida para ouvir Michael Jackson quando ele morreu e sabia que era porque ele tinha morrido. A morte traz curiosidade mesmo, a gente fica querendo entender mais um pouco daquele artista. Talvez a gente já quisesse ouvir antes, mas a morte é que deu o impulso. Na época em que eu te falei sobre a Amy eu gostava dela muito mais do que hoje...sinto mó preguiça de ficar ouvindo a voz dela, sei lá porque. Mas quando ela morreu, não conseguia parar de cantarolar "Back To Black".

Eu também andava me sentindo poderosa cantando essas coisas, mas depois li a tradução de uma música das Destiny's Child que eu amava e comecei a me sentir, bem...uma idiota. Madonna é minha diva eterna, apesar de me irritar um pouco. Porém, Britney...não dá. Simplesmente não dá. Estou procurando novas fontes de poder (6)

As músicas são lindas mesmo, nééé? :)

E eu gosto de posts nos comentários.