quinta-feira, 10 de março de 2011

Chuva, chuva, chuva!

Depois de tantos dias em casa, hoje tive de ir à Niterói ver meu alergista. Aquela preguiça de sempre na hora de me arrumar, o esforço para passar a roupa (de-tes-to), arrumar a bolsa, pegar meu livro do momento, correr para o ônibus. No fim, lá estava eu desbravando o enorme caminho Barra-Niterói.

 


Quando estava no ônibus, aproveitei para adiantar alguns capítulos de A Menina Que Roubava Livros, livro que enrolo muito para ler (na verdade, ando enrolando para ler qualquer coisa). Já estava me afeiçoando à Liesel e Rudy, mas olhei para fora e...ah, lá estava ele. Meu mundo feliz, meu mundo especial, a razão do ocasional brilho nos meus olhos. Rio de Janeiro nublado. Não é novidade para quem me conhece o fato de eu adorar chuva e tempo frio, mas minha reação quando encaro o tempo assim sempre me faz um bem tãããão grande que não consigo deixar de me impressionar. Parece que aquele vento está me abraçando, que o meu andar é mais um voar, que as nuvens escuras estão pertinho das minhas mãos. O balançar das folhas das árvores não é só uma reação ao vento; é, antes de tudo, um cumprimento delas à minha passagem. Soa egoísta, mas sinto mesmo que o vento fica mais forte sobre as folhas quando passo, só para que eu fique naquela minha tentativa boba de não sorrir no meio da rua. Deus, como parece que estou flutuando! Não sei de onde vem essa sensação, mas não quero que passe. Ainda por cima, eu estava sozinha, e foi somente hoje que percebi que gosto muito de andar sozinha pela cidade. Faço tudo naquele meu tempo (quase sempre) tão lento e, se quiser acelerar, ninguém vai me impedir. Fico lá, conversando mentalmente comigo no ônibus.

Não digo mais que o Rio de Janeiro seja a cidade mais bonita do mundo, já que um dia me dei conta de que, oi, nunca saí daqui e não sei como é o resto. De todo modo, acho que, se não entre as mais bonitas, está ao menos entre as...hum... "cidades com mais capacidade de fazer uma pessoa sorrir ao vagar por elas". Uma vez, estava indo para a faculdade e ouvindo rádio no ônibus. Era um dia  frio como hoje, e os jornalistas conversavam:

- Fulano, sabe qual é a segunda cidade mais linda do mundo?
 -Qual?
- O Rio de Janeiro nublado.
- E a primeira?
- O Rio de Janeiro com sol.

Olha, é mais ou menos assim no meu coração, e sempre falarei disto enquanto houver dias chuvosos no mundo.


Mas como ela está feliz hoje, gente!

Ouço hoje: Bahara - Shreya Ghoshal

2 comentários:

Nina disse...

Querida Carol!! mt obrigada pelo lindo comment lá comigo, vc é uma flor!!!!

E sim, o Rio é lindo chovendo ou com sol é LINDO demais e eu aaaaaamoooooo.

Tu ainda gosta de chuva né pequena???!

Carol disse...

Nina, eu sumo, mas gosto de ajudar quando pedem. Tomara que a sua amiga volte a viver!

Eu gostava de chuva, depois eu amava. Agora, a vejo como sendo uma parte de mim. Amor demais, dona Nina!