segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Ah, Psicanálise


Aqui colocando os arquivos do Don (filme) no Megaupload, ouvindo Alisha Chinai toda sexy no touch me-don't touch me - don't touch me soniye, enrolo para ir ao estágio. A preguiça é antiga companheira da pessoa que aqui escreve.


Não é apenas preguiça de sair de casa logo em dia sem aula, é um pouco mais complicado: meu estágio é todo baseado em Psicanálise. Discutimos o trabalho de campo com base em Psicanálise, nossos textos do grupo de estudos são de Psicanálise, nossas supervisoras são psicanalistas. O pequeno problema é que não suporto Psicanálise.

Certo, não é não suportar de modo algum...até que consigo ler as coisas normalmente e falar do assunto. No início do ano eu até estava gostando bastante, mas agora não aguento nem a perspectiva de ouvir a palavra Freud. Tenho que estudar Freud às segundas, terças, quartas e quintas. É muito tempo próximo de algo de que não se gosta, não? Poxa, até que tenho motivos para reclamar.

E Freud fica tão chato em uma certa hora, gente. Não acho que ele disse coisas inúteis, até entendo com muito do que disse, e mais do que isso: acredito em muito. Só não quero lidar com Psicanálise na minha vida profissional, e estar numa faculdade que prioriza isso é muito frustrante. Ao menos lá no estágio tenho as crianças para fazerem meu dia menos chato (e mais mágico), mas no dia de supervisão é chato passar a vida com Freud.

Ando gostando de Piaget e Vygotsky, que são meio opostos. Não me preocupo com isso, até tirei algo dessa preferência: gosto de autores mais objetivos, que não pareçam estar falando grego. É tanta Psicanálise todo dia na minha cabeça que estou me sentindo até um pouco culpada por estar escrevendo tudo isto. Na terça passada eu estava contando a um rapaz lá da faculdade que não gosto de Psicanálise e que gosto de Psicologia Cognitiva, ao que ele - até sorrindo - respondeu que gosto de algo que é realmente eficaz, mas que não é Psicologia. Sinto que ele não estava aceitando bem o fato de eu não gostar de Psicanálise, talvez pensando que eu tinha recalcado alguma coisa, ou sei lá o que. Eu deveria ter dito a verdade: acho que nunca gostei, só considerava divertido enquanto não sabia bem o que era. Passada a fase da descoberta, cansei. Ponto.

Vou lá arrumar minha roupa, acho que vou me atrasar...e nem fiz o relatório da creche. Na verdade, ainda não fiz nenhum neste semestre. Vergonha, Carolyne.

Cai fora, pô.


Minha música dos últimos dias:


Ó companheeeeeeeeeeeeira, não sei viver sem vocêêê

Até!

2 comentários:

Luene Paes® disse...

Oi Cá...tudo bem?
quanto tempo...não??
Essa semana lembrei de você: ví o John no Google e em tudo que era possível na net '70 anos'( e não tem como não lembrar? quem me fazia escutá-lo mais era voce...e o seu blog!)
Ví que você está estagiando e como esta a faculdade?? estou no 6º semestre da minha e numa correria para os 2 últimos estágios, ufa!
Saudades do tempo em que eu blogava sem pressa e sem frescura!rs...
Bom, mande um alô ou um Oi...
deixe-me saber de você um poquinho de vez em quando, tá?

Beijos...e mais Beijos...XD

Maria Rita disse...

Nem Freud explica..rs
Boa sorte!

Beijinhos pra Ti