sexta-feira, 30 de abril de 2010

Klóvis


Klô estava pensando na vida, nas milhares de coisas que fizemos e escreveu isso aqui:


Tudo bem que eu sou muito homem(não tente entender), mas eu fiquei rindo sozinha lembrando de toda aquela vida de retardamento duplo.Aí eu ia responder num comentário o que caberia num post e pensei que seria mais inteligente escrever um post.

Então, "vocês" já sabem o quanto Klô e eu somos amigas.Com "vocês", quero dizer todo o mundo que nos via zoando lá no Blig, todos que vieram juntos e sorridentes para o Blogger.E Klô se deprecia muito, fato.Só que comecei a lembrar de uma coisa muito importante da qual ela fez parte ativamente.E ainda não acredito que vou escrever sobre isso.

Eu gostava de um ser humano há algum tempo.Na verdade, gostei muito de dois seres humanos há algum tempo.No nosso grupo eu sempre levei fama de ser muito madura por sempre ter controlado bem os sentimentos, vocês sabem como são pessoas assim.Só que uma vez, DO NADA eu comecei a gostar de um ser humano.Foi bizarro demais!Quem me conhece mesmo nunca tinha me visto naquele estado estranho.Estava rindo e do nada fica quieta.Pensava, suspirava, repensava.Fiquei apavorada.

Klô was there(aee!).E nunca que eu vou contar todas as peripécias que inventamos naquela fase, mas foi tudo muito importante.Ela me deu força porque entende muito de emoções, mais do que ninguém.Klô sente tudo, sente muito.E naquele momento em que eu estava desesperada por sentir o que só tinha sentido uma vez, ela me acalmou.Tudo bem que também entrou na doideira, mas foi divertido, HAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAH!Não é que eu estivesse amando e tal, mas foi bizarro.E está muito claro que fico desconfortável falando disso, então acabou.

Tem as paródias, tudo o que mais gostávamos de fazer na 6ª série.A gente só escrevia sobre cocô...era um nojo!Lembro da paródia de Adoleta: "Me ganhou com esse peido de menino!Barulhento, nojento e fedido...eu não sei onde esse fedor vai me levaaaaaar!".E quando a gente vagabundeava lindamente lá em casa, só Beatles o dia todo...ouvindo o John gritar "Hey Bulldog", nós duas gritando pela linda carinha do Paul no vídeo...é tanta besteira que faz bem!Passamos anos esperando inutilmente pela época em que só pensaríamos em namorar, ir pra boate e beber.Só bem mais tarde percebemos que aquilo ali, aquelas alegrias simples, éramos nós.Não ia mudar.

Lembra quando a gente aprendeu o que era glicogênio?Voltamos andando do pré até a minha casa(o caminho é MUITO longo) fazendo piadinhas sobre glicogênio.Me respondam: QUEM faz piadas sobre GLICOGÊNIO?A gente fazia piada até sobre números complexos(que eu gostaria muito de lembrar como é que era).Ai, ai.Sem contar as milhares de histórias inventadas por essas mentes férteis...eu inventava maridos, filhos e histórias de vida pra Klô.Ela já foi casada com Johnny Depp e Orlando Bloom e teve uns quatro filhos.Infelizmente, os gêmeos Depp morreram.E estou tentando lembrar de alguma história que inventei na qual alguém fugia pra Espanha e tinha um filho chamado Pepito o_o

Ei, sobre a coisa do cinema indiano: me perguntei o porquê de eu não compartilhar isso com Klô.As respostas são óbvias: em primeiro lugar, já estava na hora de nós termos algo em separado.Aquela coisinha que só eu tenho ou que só ela tem e que passamos pra outra normalmente, sem aquele desespero de fazer a outra amar.E em segundo lugar, minha racionalidade falou muito alto: cinema indiano toma um tempo ENORME da nossa vida.Ver cada filme já tira cada um umas 3 horas.E tem o vício de comentar, ler, procurar coisas.Se eu que sou organizada com meu tempo me perdi nisso tudo, imaginei ela.Lembra de quem não conseguia se conter e  via Friends ao invés de estudar para o vestibular, para logo depois ficar arrasada com aquela cara de quem ao mesmo tempo está satisfeita e frustrada?Tinha certeza de que isso aconteceria, como ainda acontece com ela aí virando madrugadas no computador.


Lembrança: Carol em casa mostrando para Klô vídeos de sua nova descoberta mágica: The Hollies.Vídeo vai, vídeo vem, Carol mostra uma de suas favoritas: I'm Alive.Klô fica rindo(¬¬).Foi a primeira vez que percebi o efeito Pato Donald na voz do Allan Clarke.E te odeio muito por ter estragado minha visão mágica da música,HAHAHAHAHAHA!






Klô, sei lá o que digo...sou contida demais.Mas você sabe: a gente era feliz e sabia.

É isso aí.Alicia Klopper!Klóvis!

Ps: o nome dela é Priscila Klopper.
Ps2: você vai ser atriz, mulher.

2 comentários:

*Klopper, Priscila* disse...

O PATO DONALD

AAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAH


OMGGG XDDD

*Klopper, Priscila* disse...

Melhor não comentar muito senão você sabe: vira outro post. xD O que nem pode acontecer ahahaha

Só digo isso: Ri muito xD

Aliás....
A gente ria,
nós rimos,
e vamos rir,tenho certeza xDDD~~

Quanto ao cinema indiano, ah, eu também penso assim.
Sabe o que eu mais me encanto?!
Eu não preciso realmente amar o cinema indiano pra saber como você se sente. Isso é bonito (Y)
Gosto de como somos totalmente diferentes e mesmo assim nos damos muito bem <3~
YEY~

Também Te amo :D

(Adoro quando falo isso do nada e você me bate e fala: Quê isso,Klo! Fica dizendo essas coisas do nada ¬_¬"" UAHUAHAUH =33)