sábado, 29 de janeiro de 2011

Perspectiva, cadê?

Eu já havia ouvido várias pessoas falando sobre um tal momento da vida em que você já conseguiu tudo o que queria e não sabe mais o que fazer. Quando eu era adolescente  pode não parecer, mas há uma diferença enorme na vida entre os 15 e os 19 anos , achava que isto aconteceria com qualquer um, menos comigo. Humilde do jeito que eu era, pensava que este tipo de pensamento era para gente que não pensava o suficiente a respeito do que queria e por isto, não conseguia estabelecer um foco. Bem, então imaginem só qual não foi meu desespero ao me deparar com a situação que eu considerava tão repugnante.

Não ter mais perspectiva foi uma situação que ocorreu comigo assim que fui aprovada no vestibular e comecei a faculdade. Para quem não sabe, sou estudante de Psicologia há 2 anos. Quando estava me preparando para o vestibular e decidi pelo meu curso, uma das coisas em que mais pensava (e na qual todo vestibulando pensa) era em como eu me estaria dali a alguns anos: eu conseguia imaginar a Carolyne como psicóloga? E mesmo que conseguisse: aquela imagem me agradava? E mesmo que agradasse: ela parecia se sustentar, parecia possível, parecia que eu gostaria daquilo o suficiente para manter a tal imagem? Respondi que sim para essa avalanche de perguntas vestibulandas e pronto, o que eu deveria fazer era estar na faculdade de Psicologia. Na verdade, o "de Psicologia" é que foi a novidade, já que desde criança eu sabia que queria ir para a faculdade. Destino resolvido, lá fui.

Comecei a sentir desânimo para estudar assim que comecei a faculdade. Eu tinha conseguido, uau! Por que raios não estava conseguindo me concentrar? Por que não estava feliz, por que não sorria mais? Gente dos céus, tem coisa pior do que perder a motivação? Já perdi peso, já perdi parentes, já perdi minha saúde...mas nunca senti tanto a falta de algo como sinto da motivação. Era ela que me fazia levantar e ter forças para cumprir meus objetivos. E quando os tais objetivos foram cumpridos e nenhum com a mesma força dos anteriores surgiu, a dona motivação foi embora...às vezes penso que para nunca mais voltar. Acho que o problema foi que ir para faculdade era um alvo muito difícil de ser alcançado. Depois que eu já estava lá, me formar não parecia tão difícil. Era só seguir o ritmo: provas, trabalhos, estágios, formatura. Antes eu tinha de lutar com 10 candidatos por vaga, agora eu só tinha de lutar comigo.

Olha, não sou do tipo que surge com soluções mágicas. Não tenho como chegar aqui e dizer "daí eu fiz isto e deu tudo certo". Na verdade, a minha experiência me mostrou que não tem coisa pior do que se sentir desmotivado numa posição na qual todos acreditam que você deveria estar confiante e feliz. O pior é que o desânimo ainda se mantém — às vezes aumenta muito, em outras fico mais tranquila. O que faço é pensar muito, mesmo. Ter paciência com a Carolyne. No início era difícil estar cercada por tantas pessoas que sabiam exatamente o que queriam e que estavam dispostas a lutar com tudo por isto, mas agora lido muito melhor com elas. Difícil foi me desligar do modo como elas pensavam e viviam ; às vezes eu caía na armadilha de achar que só encontraria o meu caminho sendo como elas. Não as repudiei, assim como também não as copiei. Elas só estão lá como modelos. Não sei qual é o limite entre inspiração e cópia, mas estou em busca dele.

Só queria dizer que o mais importante disto tudo é que não desisto de mim, mesmo tendo pensado nisso uma vez ou outra. Não sei o que quero, mas minha certeza de que quero alguma coisa é tão grande que pelo menos me animo e ir atrás disso, seja lá o que for. Desejar querer algo não é a situação mais fácil do mundo, minha gente..mas todos nós aguentamos a jornada até a descoberta, anotem.

Até um outro dia, luzes do meu dia.

As primeiras luzes do meu dia.

5 comentários:

Nina disse...

Carolzinha, talvez seja só impressao de que as outras pessoas saibam exatamente o que querem e que estao com toda a garra ali, em tal posicao... as pessoas enganam bem, viu? nao se iluda. Outra coisa, talvez vc se sinta assim, exatamente pela razao que explicou, tava todo mundo esperando a tua motivacao, porque isso era mt óbvio, já que todos almejam o que vc conseguiu, entao vc se sente cobrada por isso... tudo mt normal, nao se estressa, vc tomou uma decisao e lutou mt por ela, agora é ter calma e continuar na luta, nao desista e nem se culpe por falta de motivacao, ela virá no tempo certo.

Um bj querida!

Carol disse...

Estou mantendo a calma, Nina! No começo foi bem difícil, mas fui conseguindo lidar com a situação. Nunca antes tinha me deparado com essa sensação de não saber o que quero, sabe? Lógico que quero uma coisa ou outra, mas a tal "coisa maior" que eu procurava não existia mais. Agora estou me acostumando com a nova situação...é até um pouco divertido ver tantas possibilidades :)

Beijo maior que o mundo! ^^

Anônimo disse...

Caroles,passei e passo pela mesmíssima situação que você e o pior:em um curso de Direito, Ahhhhh!Não tem jeito:o negócio é terminar a facul,na humilde.Mas dá para ter motivações,enquanto isto.A busca por uma nota alta,mesmo que seja em uma única matéria do semestre,por exemplo.Fazer uma atividade paralela,como um emprego de meio expediente... . Também é importante escolher o maior número possíveis de matérias que ocorram no mesmo turno e lugar(de fato aquele ping-pong de campus em campus durante o dia todo mata qualquer um rsrs)Por fim,cuide da saúde:durma bem,coma bem,beba água,exercite-se e falte àquelas aulas de quinta ou sexta feira de vez em quando hehe.Tirar uma nota baixa também nã o te impedirá de se formar e arranjar um emprego.No próximo semestre pegue poucas matérias ou tranque a matricula para se renovar.Isto também não te atrasará em nada.De resto,relaxe e curta suas férias...Abraços federais,honey!

Luene Paes® disse...

Dúvidas sempre permeiam nosso inconsciente, nosso ser...é o que nos move! que nos mantêm vivas! Acredito que se não questionássemos tanto as coisas, a vida e as pessoas ao nosso redor não fariam sentido algum?!

Você se cobra pq sempre se cobrou ou foi cobrada, ainda mais qdo somos de origem humilde, parece que a sociedade está pronto para provar que não somos capazes e, pelo contrário: a todo momento vencemos a batalha!!!quero te dizer que dúvidas existem e fazem parte dos seres humanos!
...Mais o tempo mostra tantos outros caminhos: você mesma diz que os 15 apresenta uma diferença enorme dos atuais 19, então? como você acha que vai se sentir daqui há uns 5 anos ou 6? quando já estiver conluído a Faculdade, quando já for a 'Doutora'?? Tudo muda, estamos em constante evolução... você só está ficando mais madura, digamos que esteja entendendo que o mundo não é apenas essa busca frenética por objetivos, é também ficar sem rumo e depois se encontrar, vamos ver qual Carol irá surgir depois dessa falta de Perspectiva?! Aposto que você irá se suprender...

...

Passando para deixar um Olá, te cobrar o sumiço??? e deixar vários beijinhos...morena linda!!!

Venha me ver...pelo menos de vez em quando!! bjus com sabor de saudades... =]


http://tudonossoenadanosso.blogspot.com/

Carol disse...

Pessoinha de sempre, larguei meu estágio exatamente para me cuidar mais neste período. Já faz um tempo que estou doente e não me trato, mas já comecei a fazer isto nas férias e não vou mais me negligenciar como fiz no ano passado...provavelmente esta foi uma das causas do meu estresse. Fora isso, é encarar a faculdade e seguir em frente mesmo! ;)

Lu, flor do meu dia! Fiquei muito feliz mesmo com as suas palavras, já faz anos que elas só me fazem bem. E eu vooooou fazer uma visita siiiiiim, mas é que minha cabeça anda um auê só por causa dos blogs sobre cinema indiano que eu estou mantendo. Na verdade, ando mais enrolada ainda é com o tempo que passo lendo outros blogs sobre cinema indiano, aprendendo. Mas vou, sim, só espere :)